Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão-de-Obra, Trabalho Temporário, Leitura de Medidores e de Entrega de Avisos no Estado do Paraná.

Rua Nilo Cairo, 450 - Centro - Curitiba/PR - CEP: 80060-050 - Telefone: (41) 3014-7331
Filiado à:

País terá 155 mil vagas temporária até o Natal


País terá 155 mil vagas temporário até o Natal



As contratações de trabalhadores temporários para o período das festas de final de ano deverão crescer 5,5% em relação ao ano passado. No total, devem ser abertas, em 2012, 155 mil vagas em todo o país. No ano passado, foram criados 147 mil postos.




A expectativa é que 15% desse contingente – ou 23 mil pessoas – tenham chances de serem efetivadas, de acordo com um levantamento encomendado ao Ipema (Instituto de Pesquisa Manager) pela Asserttem (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário).




A maioria das novas vagas deve surgir, de acordo com a pesquisa, no setor do comércio (75%), e o restante, na indústria.




No comércio, a faixa de salários deverá ficar entre R$ 690 e R$ 1.055, com média de R$ 872, valor 3,5% superior ao registrado no ano passado.




Já na indústria, os pagamentos devem variar entre R$ 920 e R$ 1.390, com média de R$ 1.155, ou 5% acima do valor pago no ano passado. As oportunidades deverão estar principalmente nas empresas que produzem bens de consumo (alimentos, bebidas, brinquedos, eletrônicos, vestuário e papel).




PARANÁ:




No Paraná, deverão ser criadas cerca de 10.000 vagas temporárias, sendo que a estimativa é de que 75% das vagas sejam do setor de comércio e serviços (vendedores, promotores de vendas, trabalhadores do setor de limpeza, tecnologia da informação e todas as funções em supermercados).




O presidente do SINEEPRES - Sindicato que representa os empregados temporários e terceirizados no Paraná, Paulo Rossi, estima que, ao final do contrato temporário que pode variar de 1 até 90 dias, podendo ser prorrogado pelo mesmo período, 15% desses trabalhadores, ou seja, cerca de 1.500 vagas serão efetivadas.




Rossi lembra que os trabalhadores devem estar atentos aos seus direitos trabalhistas. Uma delas é de que a remuneração nunca pode ser inferior ao do piso estabelecido em convenção coletiva de trabalho do sindicato que representa os tomadores de serviços. O trabalhador temporário regido pela Lei nº 6.019/74 tem direito ao 13º salário e ao FGTS proporcional.




A oferta de vagas temporárias é tanta que, nos dias 28 e 29 de setembro, a Prefeitura Municipal de Curitiba estará promovendo em parceria com as empresas de recursos humanos, o 4º Mutirão do Emprego Temporário, que oferecerá cerca de 5.000 vagas somente na capital paranaense e região metropolitana.




Este evento foi idealizado pelo então superintendente da Secretaria Municipal do Trabalho de Curitiba e atual presidente do SINEEPRES e da UGT-PARANÁ, Paulo Rossi. “Quando criamos esse mutirão e as feiras do emprego e da capacitação profissional, eu e o então secretário do trabalho Jorge Bernardi, pensamos numa fórmula em que o poder público pudesse ser o elo entre empresários / trabalhadores, que muitas vezes não tem recursos sequer para apanhar um ônibus e levar o seu currículo na empresa. Deu tão certo, que esse ano já é o quarto mutirão”, lembra Rossi.





Serviço: 4º Mutirão do Emprego Temporário – Praça Rui Barbosa – Curitiba-PR





Dias 28 e 29 de setembro, entre 9h e 17h.





 



 



O presidente da UGT-PARANÁ e do SINEEPRES foi um dos criadores do Mutirão do Emprego, em Curitiba.



 



Post: Rogério Kormann - 26/09/12